todos os fatos, novidades e destemperamentos que eu queria comentar com mais de 5 pessoas mas tive preguiça de ligar.

6.10.09

sobre sabões e comidas


Tudo culpa do frank.
Frank, o moço que me corta os cabelos, insistiu mais uma vez que xampu pra ser bom mesmo não pode ter sal, que se eu insistir nesses potes bonitos e cheirosos da unilever que não entram na europa nem pra lavar pelo de cachorro em pet shop, meu cabelo ia cair antes dos 40.
"mas xampu sem sal não faz espuma..."
"garota, essa espuma de propanopil de fosfanolina pode te dar até câncer. mas você que sabe."

É, eu que sei. Parei admirando a seção de lavadores de gente, no mercado, no domingo. Com toda bravura que envolve ir ao mercado nesse dia, com todos os funcionários públicos comprando as compras do mês e o tecladista de churrascaria tocando "la vie en rose" alto, bem alto.

A primeira coisa que eu entendi é que as mesas redondas da área de criação da indústria cosmética devem envolver psicotrópicos pingados no café. É tanta criatividade que desnorteia, incomoda.

A segunda coisa que eu entendi, mais intrigante ainda, é que tudo naquela área de embelezamento envolve algum tipo de composto comestível, orgânico, natural e tudo parece delicioso e brilha. Todo pote é cheio com alguma fruta exótica dos confins da amazônia, de uma erva e/ou composto medicinal oriental e algum químico recém descoberto. Tudo ligeiramente impronunciável, pra gente não lembrar de procurar no google depois.

O fato é que além de alimentar a esperança de o meu cabelo não ter mais sal, fiquei com fome. Pirei num creme de morango com hortelã elegantemente derramado em uma torradinha e hidratante de castanha com ameixa para sobremesa, em cima de um pudim. Perdida entre as ideias de cotovelo ressecado e uma provável intoxicação alimentar, desisti.

Mas aí fiquei pensando nessa relação comida/cosmético, de já que a gente não consegue comer bem pela via normal, tenta compensar com um "comer" bem por fora. Aquela coisa de a gente achar que faz bem sem sacrifício, castanha no óleo de banho não engorda. Ou ainda, já que não dá pra abrir mão da picanha do almoço, ainda dá pra esfregar cupuaçu com ylang ylang na pele e esperar. Vai que compensa.

3 comentários:

~* Ana Voiss disse...

estou APAIXONADA pelo que li.

amém Clarita.

Bate o coração e dá orgulho.

viva, as minhas amigas eram de fato as certas-tais-inspiradoras :)

Raquel Chaves disse...

sem réplica para o momento! arrasou!
:D
e viva nóis, ana voiss!!!

Bernardo disse...

sempre fiquei intrigado com aquele shampoo que descreve os cabelos como um adolescente: rebeldes, revoltos e quebradiços.