todos os fatos, novidades e destemperamentos que eu queria comentar com mais de 5 pessoas mas tive preguiça de ligar.

1.2.12

dos fantásticos procedimentos da medicina

A primeira endoscopia que fiz - o café me doía para descer - apareceu no laudo RNC, Resultado Não Convincente, porque as imagens estavam claras demais. Resultado Não Convincente quer dizer nada e qualquer coisa, aproximadamente como levar uma criança no médico e ela ser diagnosticada com "virose". Nada e qualquer coisa ao mesmo tempo.

Bom, larguei o café, mas pior do que a dor do estômago era portar um exame com RNC sem previsão de esclarecimento. Fora que minha medicina pessoal insistia em interpretar RNC como "Renal Crônico", ainda que eu soubesse da longa distância que separa meus rins de meu estômago.

O café parou de doer justamente porque não desceu mais: cortei os cafeinóides da dieta, ganhei um estômago mais feliz e, de quebra, dentes mais brancos. Os cafeinóides foram trocados por cevada - não cerveja, cevada - que não tem a mesma pegada do café mas quebra um galho. E os dentes brancos me fizeram sorrir mais, e de quebra e de impulso, me fizeram comprar uma coleção de batom com purpurina, afinal, sorriso bonito é sorriso que brilha, já me disseram.

Embora estivesse sorrindo bem às custas de gloss melancia e frutas diversas, o RNC ainda me perturbava. Meus rins não sossegariam enquando não fizesse minha segunda endocopia para convencer o resultado não convincente. E assim aconteceu minha segunda excursão ao mundo digestivo.

A segunda endoscopia que fiz teve imagens impressas no diagnóstico. As imagens - dizem - são para esclarecer qualquer dúvida e facilitar o trabalho do médico. As imagens do meu estômago, ao contrário das dos livros de anatomia, eram belíssimas. Tinha reflexo, tinha furta cor, tinha cintilante, era uma coisa entre uma parede de cristais e casca de besouro. Sem modéstia, deu vontade de pregar na parede.

O resultado reluzente agora me convenceu. Os dias e dias de sorrisos brancos com purpurina tinham se acumulado dentro de mim, me cobrindo o estômago da falta de cafeinoides e cuidando com carinho da minha beleza interna. Dá licença que tá na hora da minha cevada.

Um comentário:

Ana Voiss disse...

somos psicodélicos. e com café vc era Clara ! :P