todos os fatos, novidades e destemperamentos que eu queria comentar com mais de 5 pessoas mas tive preguiça de ligar.

14.6.11

enxaqueca


Dor de cabeça na minha aleatória e não-científica ideia é algo que acontece quando o cérebro encaixotado quer sair, explodir que nem bolha; e que passa com uma novalgina e um cochilo.
Na mesma simplicidade e na maior intensidade, enxaqueca é uma dor de cabeça destruidora que passa com 3 novalginas, uma noite de sono mal dormido, uma toalha na testa e muito, mas muito silêncio.

Pra variar um pouco, meu conceito criado não era tão simples assim.

O nome da loja era VER, e a princípio, era só uma loja de badulaques vestíveis e penduráveis nas cabeças e corpos femininos. E estava eu lá, na loja VER, mexendo nas etiquetas e procurando pechinchas. Minha cabeça já cansada de não entender direito o castexxxxano e já frita do sol de 55 grados dava seus últimos suspiros de entendimento.

Foi quando, de repente, plam, não consigo ler a etiqueta.
"Opa, essa está fora de foco. Vou tentar outra. Eita, essa também. E essa, e essa. Caceta, tô ficando cega! Eu aqui, na loja VER, sem conseguir enxergar, piada de mau gosto.
Só pode ser castigo de Deus, deve ser pra eu parar de murrinhar etiqueta e me entregar ao consumo.
Ou então deve ser pra eu dar mais valor aos anos e graus de miopia que me acompanham.
Ou então essas merdas de etiquetas estão borradas."

Enquanto reclamava internamente e me propunha as mais variadas explicações, chega a sabedoria milenar materna e me conta que sim, se eu estou vendo como uma televisão fora de foco é porque eu estou com aura de enxaqueca, devo me retirar do rebuliço e ir dormir no ar-condicionado.

E eu, mirim na arte da dor de cabeça, jamais identificaria sintoma tão bizarro e já estava era pensando em roubar um chapéu - sim, roubar, uma atitude anticonsumo que além de me livrar do capitalismo de calçada da caxxxxe florida me levaria na sombra pra iglesia mais próxima - onde eu pediria perdão pelos pecados e pediria mis ojos de vuelta. En castexxxxano, sí.
Ou pra farmácia mesmo, macaquear um "porfavor, señor, mis ojos no se quedan muy bien, dá me una medicina para biarre, para xxxxevar"

Um salve pras mães e outro pras novalginas.

Um comentário:

Luiz Antônio Gusmão disse...

pois é: não foi à toa q o cabral de melo fez uma ode à aspirina - http://www.revista.agulha.nom.br/joao36.html